01/08/2018

Registro, válido pelos próximos 15 anos, confirma o caráter inovador do produto desenvolvido ao longo de quatro anos de pesquisas e testes


espacador_patente

O Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi) deferiu o pedido de patente de um regulador de fases de baixa tensão (REGBT) desenvolvido pelo Lactec em parceria com a Feergs. A patente de modelo de utilidade foi concedida nesta terça-feira (31) em nome das duas empresas e tem validade de 15 anos.

Na carta patente, constam como inventores do produto os pesquisadores Edemir Luiz Kowalski e Marilda Munaro, do Lactec, e Alexandre Müller da Silva, da Feergs. O deferimento do pedido confirma o caráter inovador do trabalho desenvolvido pelo Lactec e pela Feergs.

Ao todo, o Lactec é titular de 16 patentes de invenção ou de modelo de utilidade, individualmente ou em parceria, além de manter outros 96 pedidos depositados no Inpi à espera de análise. Em março, juntamente com a Ampla, a empresa obteve a patente de invenção de um sistema de lacre eletrônico para conjunto de medição de energia elétrica.

Também conhecido como espaçador de fios, o REGBT foi apresentado ao mercado em 2014, após quatro anos de pesquisa e testes em diversas regiões do país. O projeto foi financiado com recursos da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), além de aportes da Feergs.

Como o nome sugere, o espaçador de fios é utilizado por concessionárias de energia para manter uma distância segura entre cabos de energia na rede de baixa tensão. A vantagem do novo produto em relação ao modelo tradicional está na economia de tempo e de custo de instalação, que pode ser feita sem a necessidade de veículo e por um único eletricista.

Na comparação com o espaçador tradicional, o tempo de instalação de cada unidade cai de 16 minutos para pouco mais de dois. Na distância entre dois postes, que é de 30 metros, é possível instalar de cinco a seis espaçadores, o que significa que o tempo gasto para realizar a devida regulação das fases com o novo dispositivo é reduzido em aproximadamente 90% se comparado aos métodos convencionais.

No ano passado, a Companhia Energética do Maranhão (Cemar) adquiriu duas mil unidades do produto.

Confira o vídeo de apresentação do REGBT:

Mais informações sobre o produto